20 de agosto de 2007

Inaugurando uma nova fase


Não posso deixar de registrar este novo momento em minha vida. As expectativas são todas, e positivas. Frutos de uma projeção, um desejo, uma determinação pessoal. Sinto que estou caminhando, crescendo e sendo feliz, desde já. Porque gradativamente me aproximo do que quero para a minha vida. É de fato apenas um primeiro passinho, uma primeira conquista. Que nada mais é do que uma oportunidade de realizar. E o que mais podemos desejar senão uma OPORTUNIDADE? Mais do que isso não teria graça. É preciso conquistar, somar, fazer por merecer.

Agora uma coisa é interessante. Como quase tudo na minha vida, as “coisas” foram acontecendo. Sem muito planejamento. Mas havia, sim, uma vontade, uma inquietação latente. Que foi força motriz para que estivesse hoje aqui escrevendo sobre isso. Fica, portanto, o registro de um ótimo momento. Cheio de desafios e incertezas, mas muito melhor do que isso, cheio de possibilidades e caminhos abertos.

Redescobertas?
Vale dizer também que o processo de aprendizado pelo qual estou passando tem me despertado os mais diversos sentimentos. Mas em geral todos muito positivos. Vejo, mais uma vez, que é “fácil” desenvolver o intelecto e amadurecer os processos mentais. Mas qual não é o desafio de transferir esse crescimento para o nosso universo emocional? Nossa! É difícil demais. Mas é uma “boa briga”, pois apesar da “culpa” e da “cobrança interior” enorme, a que nós mesmos nos submetemos, cada pequeno passo, cada processo anteriormente impensável, cada gesto diferenciado é uma conquista e um alento para quem descobriu que a direção é a mesma a todos. O que muda é a maneira de chegar lá.

PS: Ah! Começo a correr a partir de hoje!

*****************************************************************
20 anos sem DRUMMOND
Não poderia deixar de dedicar um espaço neste humilde e despretensioso ambiente para o marco de 20 anos sem ‘O Poeta’. O Gênio da língua 'portuguesa brasileira'. O mestre da arte de transformar o que é banal em lirismo, com forma e ritmo encantadores, inteligentes.
Por isso, um dos meus poemas preferidos dele:

Memória
Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

3 comentários:

Carol disse...

Para essa sua fase de vida... um pensamento que me acompnha todos os dias:


"Aos que se sentiam confusos e desiludidos, o oráculo de Delfos na Grecia Antiga,aconselhava apenas a espera. O que devia ser esperado era o que se chamava então "o sol da ordem que dissipa mais cedo ou mais tarde a neblina da confusão". A sabedoria de todos os tempos guardou sempre uma boa noticia para os que se sentiam perdidos na noite das dúvidas e da contradição.
O segredo estava em aguardar, com a necessária humildade de quem não sabe o que aguarda, mas ainda assim confia. O que alimenta o espírito e movimenta o mundo não tem nome - diz o oráculo - mas quando chega o seu tempo, ele se realiza. E esse é - como alguns homens disseram, em muitos lugares e ocasiões diferentes - o mistério e a beleza da FÉ."

AMO VOCE!!!!
Carol

nilce helena disse...

Que maravilhosa a confissão da incerteza! Oferece aos fracos a coragem, aos fortes a fé, aos mutantes a sabedoria e a humildade!É o que sentí ao ler seu texto! Tem disto tudo um pouco, ou um pouco disto tudo! Que os bons ventos de Mercúrio continuem soprando-lhe o que deve ser divulgado, protestado, promulgado,claro, lembrando Machado de Assis, mas inspirando-se em Drummond! Por favor...continue!Meu amor e carinho para você, rosa vigorosa que enfeita o jardim de minha existência. Helena.

Barneschi disse...

Dani,
Parabéns e boa sorte!!!
Você merece!
Beijos