16 de dezembro de 2009

Eu já escuto os teus sinais ...


Na bruma leve das paixões
Que vêm de dentro
Tu vens chegando
Prá brincar no meu quintal

No teu cavalo
Peito nu, cabelo ao vento
E o sol quarando
Nossas roupas no varal...


Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais...

A voz do anjo
Sussurrou no meu ouvido
Eu não duvido
Já escuto os teus sinais

Que tu virias
Numa manhã de domingo
Eu te anuncio
Nos sinos das catedrais...

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais...



Anunciação (Alceu Valença)





8 de outubro de 2009

antes da caridade

Tenho muitas coisas para atualizar por aqui.

A partida da minha avó.

A minha nova casa.

As possibilidades de nova vida.

As preocupações e as certezas que me fazem seguir sempre em frente.

Mas por hoje fica aqui uma homenagem ao Dia do Professor, que expresso por meio dessa LINDA frase do educador Paulo Freire, dedicada aos mestres e lutadores do Brasil:
"Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade".

(Paulo Freire)

14 de setembro de 2009

nem cá, nem lá

Devo admitir. Sou mesmo o que Raulzito chamou de “metamorfose ambulante”. Mas num grau que às vezes até eu mesma me espanto. A minha cabeça está sempre a MIL por hora. E, ultimamente, em função do que anda passando por ela, não consigo desligar quase nunca. Até dormindo uma sucessão de imagens, ideias, pensamentos e desejos surgem na mente em frames frenéticos.

É uma ânsia de viver, de mudar, de mexer, junto com o freio de mão puxado: o medo, a incerteza, a imobilidade. Se isso tem solução? Não sei. Acho que não. Mas é fato que com o tempo já melhorei. Não porque deixei de ansiar e, sim, porque por convicção e exercício diário passei a acreditar que as coisas vão acontecer da melhor maneira possível.

Ainda lido constantemente com o conflito entre aquilo que penso e acredito e aquilo que sinto e desejo. Traduzir nossas certezas intelectuais em convicções emocionais é, sem sombra de dúvida, o meu maior desafio pessoal. Eu acho, eu sei. Mas não consigo, por vezes, transformar essas certezas em paz de espírito e tranquilidade. É, já posso dizer que é um passo. E fico satisfeita com isso, mas me incomoda.

Assim, tenho construído, dia-a-dia, um caminho, semeado com certa dedicação. Tenho dado passos num só sentido, ainda que com ansiedade e medo. Afinal, SEI que meu destino não é a chegada, mas o caminhar.

31 de agosto de 2009

o primeiro dia do resto de nossas vidas

Acordei com essa sensação. De que o primeiro dia do resto da minha vida é hoje (rs). Evidentemente, isso está diretamente ligado às definições profissionais do Congresso – que foram muito alegres e positivas.

É como se eu tivesse recebido um “free-pass”. E, pronto, voltei a ter o direito de sonhar, planejar e construir. E agora? Hahahaha ... Agora é "a vida apenas, sem mistificação" (como diria o Drummond). Hora de abrir a planta, estudar o terreno, pensar nas fundações, estabelecer os alicerces e mãos à obra.

De resto, fica a sensação de aprendizado (graças a Deus!). Ela é ótima, pois, mesmo com algum sofrimento (que teria sido perfeitamente evitável, mas que não foi), chego a essa nova fase com uma conduta mais madura, menos indignada, menos apaixonada. Uns podem dizer: mais fria. Não, eu digo é que mais serena, equilibrada. Porque é isso mesmo: não optar pelo sofrimento, pela reclamação, não criar expectativas. E, assim, dar à vida a oportunidade de te surpreender de verdade!

Plantar, semear, regar, podar e, quem sabe, colher...
Com a convicção de que o fruto e a flor são menos importantes. O que vale de fato é cultivar!!!

24 de agosto de 2009

semana cheia

Bom, a semana começa com aquele habitual ritmo de segunda-feira, bem parecido com carro antigo - movido à álcool - que teima em demorar a pegar. Ok. Já liguei o "afogador". Afinal, essa semana não tá pra brincadeira e não dá pra ficar na garagem de bobeira ...

Finalmente o Congresso está chegando e o trabalho não para. De qq forma, será mais uma experiência interessante, que sempre traz aprendizado. Teremos a novidade da cobertura "ao vivo", via Twitter. Invenção de quem adora uma sarna para se coçar. EU. De nada! Hehehe...

E a distribuição da Revista CONTEÚDO Nº3, que, modéstia à parte, ficou bem bonita. Ponto para nós! Vamos ver o que o povo vai achar. Vale lembrar que as atividades começam na sexta e, por isso, "não vamos estar tendo fim de semana" nesta semana. Vou de mala e cuia na sexta para um hotel aqui de São Paulo e só saio de lá quando tudo acabar - domingo meio dia, se Deus quiser! Ok.Ok.Ok. Faz parte.

Enfim, por hoje é isso. Volto com novidades em breve.

19 de agosto de 2009

um país de cantoras

Ontem assisti à entrega do Prêmio Multishow. Chamou-me a atenção que o público (juri da premiação), que votou pela internet, tenha escolhido uma canção (Amado) interpretada pela Vanessa da Mata como a melhor do ano. E me surpreendeu ainda mais que ela tenha levado ao palco seu parceiro nesta composição para receber o tal prêmio (Marcelo Jeneci). Tão raro isso. Compositores costumam ficar sempre relegados ao anonimato.

Achei bacana que entre sucessos mais populares uma representante da MBP tenha conquistado esse reconhecimento. Afinal, precisamos reconhecer o talento das nossas cantoras. O Brasil é dominado por vozes femininas da melhor qualidade, versatilidade e bons repertórios.

Infelizmente, o mesmo não podemos dizer dos cantores. São poucos - em comparação com as mulheres - e os melhores, certamente, não têm grande reconhecimento. Em que pese o registro da premiação do Seu jorge (tb no Prêmio Multishow), incomparavelmente melhor do que todos os concorrentes (entre eles Rogério Flausino (?) do Jota Quest ....).

Mas voltemos às musas. Na platéia do evento: Marisa Monte, Roberta Sá, Ana Carolina, Vanessa da Mata, entre outras. Sem contar as ausentes e divinas Maria Bethania, Joyce, Gal e ela, a diva: Elis Regina.
Viva as cantoras do Brasil!

A noite terminou com uma homenagem mais do que justa e merecida à rainha do rock brasileiro: Rita Lee. Um texto muito fofo do filho dela (Beto Lee) contou a história dessa mulher incomum e totalmente autêntica. À netinha-Isabela-charmosinha, coube a missão de "entregar o prêmio para a vovó".

Ao agradecer, Rita me fez lembrar de que só é verdadeiro quem NÃO se preocupa em ser politicamente correto. Os discursos anemos, os muito obrigados, os reconhecimentos forçados tiram a graça de tudo.
Sou mais Rita: diga o que pensa, mas seja educado. Diga: não, obrigado!

18 de agosto de 2009

Nova paixão

Depois que assisti a apresentação do Diogo Nogueira, no Programa "Bem, Amigos" (Sportv), cantando "Além do Espelho" ( doJoão Nogueira - pai dele!), me APAIXONEI pela música.

Comprei um disco do João (o Diogo não gravou essa ainda) e ouço diariamente. É linda que dói. E tem "Espelho" que também é mara!

É a canção que vem embalando meus dias (e noites) de fechamento da CONTEÚDO, e me preparando psicologicamente para o Congresso da CONTEE na semana que vem.

************************************************
Novo visu

Quem me conhece sabe do meu intenso lado "geminiano" e de quanto me angustia a estagnação e falta de novidade. Como ando em compasso de espera (como já disse Zeca Baleiro: tô passando "agosto esperando setembro"), resolvi mudar o layout do blog de novo ... afinal, isso eu posso mudar!! Hehehe ...


Enquanto seu lobo não vem (o Congresso, a varanda, a horta, a penteadeira e otras cositas más), vou inovando por aqui.

6 de agosto de 2009

palavras de algodão ...

Sutilmente
Composição: Samuel Rosa / Nando Reis

Vejam o Clip. É LINDO!
http://www.youtube.com/watch?v=geDHzXg56UU&feature=fvw

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti

27 de julho de 2009

Mais de mim


Metade
Oswaldo Montenegro

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza

Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso mas a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.

Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.

20 de julho de 2009

Um dia sem esperança

MEDO
Lenine e Julieta Venegas

Tienen miedo del amor y no saber amar
Tienen miedo de la sombra y miedo de la luz
Tienen miedo de pedir y miedo de callar
Miedo que da miedo del miedo que da
Tienen miedo de subir y miedo de bajar
Tienen miedo de la noche y miedo del azul
Tienen miedo de escupir y miedo de aguantar
Miedo que da miedo del miedo que da

El miedo en una sombra que el temor no esquiva
El miedo as una trampa que atrapó al amor
El miedo es la palanca que apagó la vida
El miedo es una grieta que agrandó el dolor
Tenho medo de gente e de solidão
Tenho medo da vida e medo de morrer
Tenho medo de ficar e medo de escapulir
Medo que dá medo do medo que dá
Tenho medo de acender e medo de apagar
Tenho medo de esperar e medo de partir
Tenho medo de correr e medo de cair
Medo que dá medo do medo que dá
O medo é uma linha que separa o mundo
O medo é uma casa aonde ninguém vai
O medo é como um laço que se aperta em nós
O medo é uma força que não me deixa andar
Tienen miedo de reir y miedo de llorar
Tienen miedo de encontrarse y miedo de no ser
Tienen miedo de decir y miedo de escuchar
Miedo que da miedo del miedo que da

Tenho medo de parar e medo de avançar
Tenho medo de amarrar e medo de quebrar
Tenho medo de exigir e medo de deixar
Medo que dá medo do medo que dá
O medo é uma sombra que o temor não desvia
O medo é uma armadilha que pegou o amor
O medo é uma chave que apagou a vida
O medo é uma brecha que fez crescer a dor
El miedo es una raya que separa el mundo
El miedo es una casa donde nadie va
El miedo es como un lazo que se apierta en nudo
El miedo es una fuerza que me impide andar
Medo de olhar no fundo
Medo de dobrar a esquina
Medo de ficar no escuro
De passar em branco, de cruzar a linha
Medo de se achar sozinho
De perder a rédea, a pose e o prumo
Medo de pedir arrego, medo de vagar sem rumo
O medo estampado na cara ou escondido no porão
O medo circulando nas veias ou em rota de colisão
O medo é de Deus ou do demo?
É ordem ou é confusão?
O medo é medonho
O medo domina
O medo é a medida da indecisão
Medo de fechar a cara, medo de encarar
Medo de calar a boca, medo de escutar
Medo de passar a perna, medo de cair
Medo de fazer de conta, medo de iludir
Medo de se arrepender
Medo de deixar por fazer
Medo de se amargurar pelo que não se fez
Medo de perder a vez

Medo de fugir da raia na hora H
Medo de morrer na praia depois de beber o mar
Medo que dá medo do medo que dá
Medo que dá medo do medo que dá

17 de julho de 2009

Só pra dizer que eu te amo...

Fullgás
(Marina Lima - Antonio Cicero)

Meu mundo você é quem faz
Música, letra e dança
Tudo em você é fullgás
Tudo você é quem lança
Lança mais e mais

Só vou te contar um segredo
Não, nada, nada de mal nos alcança
Pois tendo você, meu brinquedo
Nada machuca, nem cansa

Então venha me dizer
O que será
Da minha vida
S
em você

Noites de frio, dia não há
E um mundo estranho
Pra me segurar

Então onde quer que você vá
É lá, que eu vou estar
Amor esperto, tão bom te amar

E tudo de lindo que eu faço
Vem com você, vem feliz
Você me abre seus braços
E a gente faz um país
Você me abre seus braços
E a gente faz um país

15 de julho de 2009

Um segredo


Sorri
Quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos, vazios

Sorri
Quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador

Sorri
Quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados, doridos

Sorri
Vai mentindo a tua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz

Composição: Charles Chaplin/G.Parson/J. Turner - versão: Braguinha
Intérprete: Djavan

14 de julho de 2009

Um lema, um hino

Maria, Maria
Composição: Milton Nascimento e Fernando Brant

Maria, Maria
É um dom, uma certa magia
Uma força que nos alerta
Uma mulher que merece
Viver e amar
Como outra qualquer
Do planeta

Maria, Maria
É o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que rí
Quando deve chorar
E não vive, apenas aguenta

Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria

Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida....

11 de junho de 2009

De malas prontas

Lá vamos nós para o nosso feriado - frio e chuvoso já se sabe. Mas será, acredito, de muito descanço e sossego, que valem um bocado. Antes, mais uma difícil despedida...

Por isso, lembrei-me deste poema do Manuel Bandeira:

Consoada

Quando a Indesejada das gentes chegar
(Não sei se dura ou caroável),
Talvez eu tenha medo.
Talvez sorria, ou diga:
- Alô, iniludível!
O meu dia foi bom, pode a noite descer.
(A noite com seus sortilégios.)
Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,
A mesa posta, com cada coisa em seu lugar.


Fiquem com Deus!
Beijinhos!

Dani

8 de junho de 2009

Descosturando

Toda segunda-feira é assim. Demoro para entrar no ritmo... Ainda bem que nessa semana a segunda já é como quarta. Afinal, depois de amanhã será “sexta”... E o melhor: teremos 3 sábados!! ADORO!

O fato é que nas segundas-feiras um sentimento recorrente em mim parece sempre mais intenso. É aquela vontade de que o tempo passe, de que possa viver, mudar, mexer, transformar tudoaomesmotempoagora. É uma saudade louca do que ainda não foi, uma vontade intensa de experimentar o novo. Simultaneamente à minha certeza de que o melhor da “festa” é esperar por ela e de que cada momento hoje vivido será “sagrado”, e fundamental em todo o processo. Mas que dá vontade de VIVER além. Isso dá.

Bom, de resto sigo me descosturando por dentro, costurando novamente, tecendo em mim, em mil fios, a trama da serenidade, da paciência e da meditação interior.

*****************************************************************

Bom, quero registrar aqui também o final de semana delicioso que nós tivemos. Com direito a bate-bola com meu afilhado amado no Parque do Ibirapuera. (Vale ressaltar que os tios fizeram bonito! Aguentamos o passeio, o esporte e ainda teve Mc Donald´s para arrematar!!!)
Abaixo segue um vídeo do Fábio e do Lucas num gol-a-gol memorável, com um gol contra de craque Fô!! Hehehehe ....

video

Fomos também na Festa Junina do Clube Helvétia com os amigos Blane, Thais e Lulu. Numa noite fria digna e típica de um bom arraiá! Divertido e finalizado com pizza da Ceci.

Pra completar o fim de semana diversificado e atípico, fomos DANÇAR! Pode acreditar! Fomos no “The Clock”, um barzinho rockabilly, que tem uma “aulinha” básica para os iniciantes. DIVERSÃO total!! O Fábio dançando foi impagável, LINDO! Pena que não tiramos fotos para provar... fica na imaginação. Muito bacana!

Ahhh! Semana passada, no dia 1/06, também tivemos uma suuuper novidade: o nascimento do Lucas, o irmão da Mariana - filho dos nossos queridos primos-brotenses Daniel e Kelly. Seja bem-vindo, querido!! Aguardamos fotos e vamos programar uma visita para breve! Podem nos esperar!

Beijinhos!

Dani

2 de junho de 2009

Nosso filho de pelos

Desde a sua chegada a nossa casa ficou mais alegre, fofinha e agitada. Mas que delícia! O Elvis Presley, Elvinho para os mais íntimos, está conosco há pouco mais de 2 meses, mas já não nos imaginamos sem ele. Temos saudades quando estamos fora e vontade de passar o dia inteiro com ele no colo quando estamos em casa. Parece mesmo que agora estamos de fato formando a nossa família. E como é bom!

Elvis é um maltesinho, nascido em 13/01/2009, capricorniano, dorminho e lambão. Gosta de ossinhos, brincadeiras e colo... é um torcedor do "colo-colo" de primeira. Já pode passear na rua, mas não aguenta ir muito longe. Uma de suas maiores diversões é cheirar, lamber e explorar novos ambientes. É o nosso Marley, mas bem mais bonzinho e calmo. Hehehe...

Como um bom "cachorrinho de madame" ele é são paulino e está ansioso pelo resultado do jogo contra o Cruzeiro na Libertadores. (Que o Fábio não me ouça/leia!). Semana passada conheceu o seu "tio" Tiquinho, o demoninho da Tasmânia da Praia Grande. Parece que se entenderam, mas aparentemente não se adoraram. Se bem que não dá muito para ter certeza. Afinal, o Tiquinho tem lá sua maneira pouco convencional de interagir: rosnando - quando está feliz, com fome, com sono ou com raiva. Portanto, fica difícil compreender. Uma coisa é certa: ele rosnou bastante. Algo deve ter sentido.

Na próxima semana, Elvis fará sua primeira "longa" viagem. Vamos ver como se comportará. Acho que muito bem. Ele não sabe, mas terá uma ótima oportunidade de dormir perto da gente e passear bastante. Depois eu conto.
Em primeira mão na rede (rsrs), posto estas fotos fofas dele. Desde a sua chegada até o momento.


Ah! E segue também uma musiquinha linda do "Palavra Cantada", em homenagem ao Elvis...

Não é "Always on my mind" ...

Clique AQUI para ouvir

Pepe, Pepe meu cão
Se você se sente triste e tá sozinha
Tecle, tecle canção
Que você vai ouvir essa marchinha
Pepe, Pepe meu cão

Pepe papa, Pede bebe
Pepe tem pelos de algodão
Pepe late, Pepe luta
Pepe acaba com a solidão ...

Sandra Perez e Paulo Tatit (Palavra Cantada)

29 de maio de 2009

Sua risada mais gostosa

Se tem uma coisa gostosa nessa vida é a sensação de dever cumprido, e bem cumprido, lógico. Isso traz uma paz interior boa, boa. É assim que estou me sentindo agora, após a realização do Seminário de Comunicação da CONTEE. Os debates foram muito bacanas, com palestrantes inteligentes e totalmente inseridos na discussão da questão da democratização da mídia. Entre os temas tratados, o que mais me instigou foi a questão do “mídia livrismo” e da internet livre.

Essa concepção rompe muitos paradigmas e mostra que para lidar com os avanços proporcionados pelas novas tecnologias é imprescindível mudar a nossa forma de pensar e ver o mundo. É essencial ser colaborativo e compartilhar o conhecimento. Esqueçamos as velhas maneiras de agir, reagir e interagir. A ordem é não ter ordem, ser livre e hackear, quebrar barreiras, conceitos e pré-conceitos.

Mas a melhor parte, para mim, ficou por conta do milagrinho que a gente fez com os materiais de comunicação enviados por entidades filiadas à CONTEE. Com eles montamos uma exposição e com muita criatividade conseguimos deixá-la apresentável e até que charmosinha. A curtição ficou completa com o excelente som da Anna Lú e do Paulo Canhoto – dupla gentilmente indicada pelo amigo Zé Ruivo. Qualidade, sonoridade, docilidade e talento. Abaixo fotinho que tirei para “relembrar momentos” e a fim de tentar captar o prazer e a curtição que eles transmitiam.


Vale ressaltar também os elogios recebidos dos participantes, palestrantes convidados e diretores. Eles destacaram a iniciativa, a organização e a pertinência da atividade. Humm... "Muito bom, muito bom"!

E que, ao final, como diz o poeta, de tudo fique um pouco...
Principalmente, um pouco desse bom sentimento que hoje está no meu coração.

28 de maio de 2009

E a gente trabalha ...

Passo rapidamente para não correr o risco de ficar sem atualização já na primeira semana de retorno ao Blog...

Hoje começa o Seminário de Comunicação da CONTEE, atividade que estamos (eu e minha "chefinha") planejando com cuidado e carinho desde 2008. Após alguns meses de ideias, convites, reuniões e muito trabalho, vamos finalmente saber como será o nosso bendito Seminário. Uma coisa é certa: teremos direito à palestrantes muito legais, exposição, coquetel e uma musiquinha ao vivo, que ninguém é de ferro (e, cá entre nós, é bem a minha cara! Hehehe...).


Este é um momento importante para a consolidação desse trabalho e para uma certa sensação de "fechar com chave de ouro", uma forma de encerrar um ciclo de muita dedicação, de enfrentamento de adversidades (que por vezes mal sabíamos de onde vinham) e para coroar uma parceria que tem me dado muita satisfação e motivação. Prova de que há ainda nesse mundo gente capaz de confiar e compartilhar responsabilidades, sem conflitos de egos, capiche?

É isso que faz valer a pena o trabalho, o suor, a dedicação e a batalha cotidiana! Tem aprendizado e crescimento, felizmente!!! Por isso, só tenho agradecimentos à "chefinha". Uma "companheira" (nos mais diversos sentidos dessa palavra) da melhor qualidade!! Valeu!!

Beeeeeeeeeeeeijos!

26 de maio de 2009

ALMA NUA

Cá estou aqui novamente para uma "volta dos que não foram". Ou até foram, mas foram só até ali e já voltaram ...

Aproveitei e dei uma repaginada no Blog para mudar o clima, a cara e a alma dele...

Por falar em alma, vai uma "letra-oração" que tem me inspirado e serve para "inaugurar" esse novo momento do Blog: um momento bem pessoal e sem pretensão. Fruto do desejo de apenas registrar essa fase da minha vida, pra que eu mesma leia daqui há algum tempo ... e possa, quem sabe, entender como eu "era" ou "sou"...

Ó Pai
Não deixes que façam de mim
O que da pedra tu fizestes
E que a fria luz da razão
Não cale o azul da aura que me vestes

Dá-me leveza nas mãos
Faze de mim um nobre domador
Laçando acordes e versos
Dispersos no tempo
Pro templo do amor

Que se eu tiver que ficar nu
Hei de envolver-me em pura poesia
E dela farei minha casa, minha asa
Loucura de cada dia

Dá-me o silêncio da noite
Pra ouvir o sapo namorando a lua
Dá-me direito ao açoite
Ao ócio, ao cio
À vadiagem pela rua

Deixa-me perder a hora
Pra ter tempo de encontrar a rima
Ver o mundo de dentro pra fora
E a beleza que aflora de baixo pra cima

Ó meu Pai, dá-me o direito
De dizer coisas sem sentido
De não ter que ser perfeito
Pretérito, sujeito, artigo definido

De me apaixonar todo dia
De ser mais jovem que meu filho
E ir aprendendo com ele
A magia de nunca perder o brilho

Virar os dados do destino
De me contradizer, de não ter meta
Me reinventar, ser meu próprio Deus
Viver menino, morrer poeta


Alma Nua (Vander Lee)

17 de fevereiro de 2009

1 ano depois ...


O amor tem feito coisas
Que até mesmo Deus duvida
Já curou desenganados
Já fechou tanta ferida

O amor junta os pedaços
Quando o coração se quebra
Mesmo que seja de aço
Mesmo que seja de pedra

Fica tão cicatrizado
Que ninguém diz que é colado
Foi assim que fez em mim
Foi assim que fez em nós
Esse amor iluminado

(Iluminados - Ivan Lins/Vitor Martins)