15 de maio de 2006

Geração Perdida, Convocação de Ouro (ou Euro) e a Nossa Seleção

O Iraque é aqui ...

"Nas favelas, no Senado, sujeira pra todo lado. Ninguém respeita a constituição, mas todos acreditam no futuro da Nação". (Que país é este? – Renato Russo)

Estou pessimista. Acho mesmo que nem meus netos verão o país que eu gostaria de ajudar a construir. Sinto muito, mas é isso mesmo. Não estou surpresa, afinal só não viu quem não quis. A cidade de São Paulo aprendeu a fingir que a violência está controlada, reprimida, encarcerada. Mentira. A única diferença é que a violência da nossa cidade está velada. E hoje enterrada. Concentrada nos bairros mais pobres, distantes, esquecidos. Total ausência do Estado.
O dia das mães foi inesquecível para dezenas de mulheres que enterraram seus filhos – vítimas da violência urbana da maior cidade da América Latina. Até um bombeiro foi morto. Menos um cidadão que fazia de seu trabalho uma luta diária pela vida.
É guerra civil. Há muito tempo. Só que agora, "pobres paulistas", a realidade passou dos limites, não é? De repente aquilo que muitos não queriam ver – e que ninguém quer mostrar – está aí na nossa cara. Não há pra onde fugir. Você. Eu. Quem será o próximo? Somos exemplares raros - premiados pela sorte da oportunidade - de uma geração perdida. E as próximas também estão. Os futuros filhos deste solo, que hoje serão gerados - aqueles que nem nasceram, serão frutos do mesmo descaso, humilhação, falta de perspectivas e esperanças.
Nos últimos dias, vimos apenas aquilo que não conseguiram nos esconder. O "acordo de cavalheiros" entre bandidos e mocinhos azedou. E aí ficou evidente que quem nos garante o "direito de ir e vir" (quase por ousadia) não é o Estado. E, sim, uma trégua subjetiva, condicionada à impunidade. Afinal, quando "eles" querem, tocam o terror. A população e até a polícia são reféns. Estamos nas mãos de jovens que não têm valores, amor à vida, ou qualquer consciência de humanidade. Afinal, nasceram, cresceram e se multiplicaram como bichos. E assim são tratados por TODOS nós.
Chega de murros nas mesas, discursos demagógicos. Afinal, os maus exemplos vêm de todos os lados. Das principais autoridades, dos três poderes, do setor público e privado. Do mensalão, da compra de votos, do suborno do marronzinho, da "cervejinha" pro guarda, da propina pro fiscal. São os grandes, os médios e os pequenos. Corrupção é também fator indissociável da situação que vivemos.
Uma verdadeira política de segurança pública é URGENTE. Enquanto o Estado de São Paulo gastar mais com o sistema penitenciário do que com habitação, mais com combate ao crime "organizado" do que com saúde, estaremos condenados a viver com medo. É preciso compreender que Política de Segurança Pública não é apenas armamento, construção de presídios e condenação de criminosos. Educação, saúde, emprego, moradia, DIGNIDADE. Isso é segurança!

Até agora:
29 rebeliões em andamento
120 reféms
Cerca de 81 mortos
68 ônibus incendiados
180 ataques

Lembrei dessa música:

Geração Perdida - Daniela Mercury/ Ramon Cruz/Toni Augusto

"Artistas moviam a terra
Com seu choro e partiam
Nascíamos em anos intermináveis
Filhos de árvores cortadas
Fomos silêncio sem saber
A geração do nada
Que ressuscitou sem morrer

O leite derramado é vermelho
Como a cor dos nossos cabelos
Que dançam, que dançam

As drogas já são pálidas
As palavras sem prisão
As crianças mal criadas
Nascidas com a televisão

Geração perdida
Artistas, negros, mãe
Nossos mortos sem vida
A dor que ainda dói."



**********************


O ÓPIO DO POVO

Em detrimento a tudo o que acontece no mundo (ainda bem!), Carlos Alberto Parreira divulgou hoje os nomes dos 23 jogadores que farão parte do grupo que disputará a Copa do Mundo de Futebol 2006, na Alemanha. Havia poucas dúvidas. Portanto, poucas surpresas. Sobrou sensatez ao convocar Gilberto, Fred e Rogério Ceni. Do goleiro ao ponta esquerda (adoro essa expressão), a nossa seleção tem tudo para conquistar o HEXA. E é isso que me preocupa. Teremos que lutar, marcar forte e não bobear contra nossos maiores adversários: o favoritismo e a constelação. São muitas estrelas, muitos milhões de euros, muitas pernas bonitas e sorrisos conquistadores à disposição. Caberá ao Parreira transformar essa lista de nomes em um time. Estimulá-los, envolvê-los, criar conjunto e harmonia. Fazer o melhor jogador do mundo usar todo o seu talento para colocar os adversários (croatas, australianos e japoneses – num primeiro momento) pra dançar. É isso aí. A Copa começou. A tabela já está em mãos. Dedos cruzados, corações apertados e uma só voz: "todos juntos vamos! Pra frente, Brasil. Brasil! Salve a seleção"!!!

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh.... e é claro: "Ão, ão, ão!!! Rogério é seleção!!!
(Não poderia deixar passar!!!)


***************************


A NOSSA SELEÇÃO

Como prometido no último Post, divulgo aqui a "nossa seleção". E explico. Eu e o Fábio, em árduo, mas (confesso) divertidíssimo trabalho, decidimos montar a seleção com os melhores "NOMES" do país. Atenção!!! A escalação conta apenas com jogadores da primeira divisão do futebol brasileiro. Espero que gostem! Aceitamos novas sugestões e comentários.

OBS: Aproveitem também como boas idéias para batizarmos nossos rebentos.

Segue a lista:

Maizena (com "Z") – Fortaleza
Ediglê – Internacional
Fininho – Figueirense
Jamesson – Santa Cruz
Rosembrick – Santa Cruz
Sidraílson – Santa Cruz
Nêgo – Santa Cruz
Leyrielton – Goiás
Triguinho – São Caetano
Minhoca – Flamengo
Rabicó - Fortaleza

Técnico Givanildo

Lê-se: Maizena, Ediglê, Fininho, Jamesson e Rosembrick. Sidraílson, Nêgo, Leyrielton e Triguinho. Minhoca e Rabicó. Givanildo é o treinador.

4 comentários:

Bia disse...

Dani, me comove sua animação ao pensar q nossos netos não verão o país q um dia a gente sonhou em construir e deixar para eles. Eu ainda tenho medo de não conseguir deixar nada para os meus filhos. Na realidade acredito q deixaremos sim, deixaremos eles herdarem a nossa ignorancia, a nossa hiprocrisia, a nossa falta de amor próprio e amor para com o proximo, a nossa falta de respeito, entre tantos outros adjetivos q essa situação atual nos permite pensar.
Mas, efim, cabe a nós tentarmos mudar tudo e todos. Quem sabe até conseguiremos deixar para nossos netos sim, coisas boas.
Bjsssss e vou amar ler sempre suas opiniões sobre tudo, afinal vc é muito sensata em tudo q diz.

Fábio Levatti disse...

Tristeza!!!!

É difícil encontrar palavras para dizer algo sobre a situação caótica de nossa cidade. Ela é apenas um triste reflexo do que nossos governamtes fizeram com nossos votos nos últimos anos. Eu digo com a maior certeza do mundo: 99% dos políticos do Brasil são incompetentes ou não prestam!!!! Você pode escolher uma dessas opções pois não existe uma terceira!!!!!

Alegria!!!!

Com relação a nossa listinha para Copa com nomes "diferentes", ficou demais!!!! Se esse time fosse para Alemanha, ficaria difícil até para os chineses (em termos de nomes, é claro!) ganhar de nós... rsrsrs...

Parabéns pelo texto sobre a violência, demais!!!!

Beijocas!!!!

Barneschi disse...

Dani,

1. A seleção dos nomes está irretocável. Mas o Felisbino/ Richarlysson tem lugar garantido no banco de reservas.

1a. Com tudo isso, por que as pessoas acham ruim quando eu digo que gostaria de dar aos meus filhos os nomes de Romário, Edmundo e Evair?

2. Como o clube é muito mais importante, eu ganhei ontem bons motivos para torcer ainda menos pela seleção.

3. Ótima a música da Daniela Mercury. Até porque não a ouvia há tempos; aí peguei o cd ontem e ouvi de novo.

Beijos

Daniele Moraes disse...

Bia,
Obrigada pela visita e pelo comentário. Tá difícil mesmo, mas o mais importante a gente já tem, né? AMOR !!! hehehe ...
Volte sempre!!!

Fô,
A listinha está imbatível mesmo!!
Te amo!!!

Rô,
Sem dúvida nenhuma, Felisbino e Richarlysson estão confimados. Bem como Wescley, Francismar, Raullen, Livonir e Geufer, que ajudam a formar um banco de dar inveja em qualquer "Um Dois Três de Oliveira Quatro".

Beijocas a todos!!!